> Um retrato CRUEL da educação de Codó !

Um retrato CRUEL da educação de Codó !

Posted on quinta-feira, 27 de outubro de 2016 | No Comments

No dia 2 de  fevereiro deste ano a TV Mirante esteve na escola do povoado SÃO JOSÉ, a 33 kms da sede do município de Codó. A reportagem mostrou que os cupins já haviam deixado sob ameaça a madeira da cobertura e as paredes, ainda de taipa levantadas pelos próprios moradores,  ameaçavam  desabar. Havia muitas escoras.
Naquela semana a professora do povoado tomou a decisão de oferecer a varanda da própria casa para os 25 alunos da comunidade. Sábia decisão. Meses depois a casinha que servia  de escola desmoronou. Hoje só existe, praticamente, o lugar.
À época a Secretaria de Educação, por meio da coordenadora da Educação no Campo, professora Zuca (Ana Maria da Silva Lima), informou  que esperava recursos estaduais para construir a escola de São José  e outras 47 escolas.
 O ano está terminando e os alunos continuam na varanda da casa da professora que preferiu não ser mostrada na reportagem.É um local apertado para muitas séries. Dois quadros dividem a atenção na sala  multisseriada,  na tentativa de fazê-los aprender. Mas por causa das condições, é consenso no povoado, que isso representa muito mais apenas uma tentativa de não deixa-los perder, por completo,  o ano letivo.
PUXADINHO PARA ALFABETIZAÇÃO
Tudo que funciona em São José é fruto do esforço da professora da localidade. Atrás da casa ela mesma construiu uma pequena área, de barro e talo de babaçu, para abrigar uma outra parte das crianças  que ainda estão sendo alfabetizadas.
Os 9 alunos da alfabetização dividem o apertado espaço com os fogareiros da cozinha e assim como os da varanda só viram merenda chegar uma vez este ano, foi no final de junho. Quando o relógio alcança as 10 da manhã, os colegas e Jonatas da Conceição sempre reclamam.
 “Dói a barriga…COM FOME?  Balança cabeça que sim….E DÁ VONTADE DE IR EMBORA? Sim”, respondeu o pequeno garoto.
O ano já está terminando, mas a esperança dos alunos anda longe disso. Gustavo Queiroz ainda sonha com a escola ideal.
“COMO VOCÊ GOSTARIA QUE FOSSE A TUA ESCOLA? De telha, tem merenda, tudo…TODO MUNDO MERECE ISSO? Tudo, todo mundo”, disse
CRIANÇAS SEM FUTURO
Os pais, apesar de não terem mais a quem apelar já que a prefeitura é sabedora da situação e nada resolve, se mantém confiantes porque sabem  o quanto uma boa  educação pode fazer a diferença. Para dona Maria Honorata dos Anjos e seu Raimundo Sousa, crianças que não estudam não podem ter um futuro promissor.
 “Criança sem estudar não tem futuro nenhum porque não aprende nada, aprende fazer outras coisas, não tem futuro…TEM DE ESTUDAR? Tem de estudar”, disse a lavradora
“A possibilidade do cara é ser sabido, é estudar pra ver se melhora mais na condição pra gente…E SEM ESCOLA? Não vai”, concluiu seu Raimundo
A SECRETÁRIA FALOU
A secretária de Educação, Rosina Benvindo, não quis gravar entrevista, mas informou que não há como construir uma escola em São José por causa da falta de recursos. Para isso, o município contava com  verbas do Governo de Flávio Dino da ordem de R$ 1.600.000,00, mas até hoje  o Governo do Estado só mandou cerca de R$ 480.000,00, aplicados na construção de 6 das 18 escolas previstas.
Não há mais tempo neste governo, nem dinheiro.
Quanto a Merenda Escolar, Rosina Benvindo culpou a verba que não atende à quantidade de alunos. Segundo ela, são apenas R$ 0,30 para cada aluno, o que inviabiliza o abastecimento regular.
Ela informou ainda que quando assumiu a gestão da Educação, em 2013,  achou 76 escolas de barro e cipó, como a de São José (quando ainda estava de pé). De lá pra cá, conseguiu diminuir de 76 para 57 , as escolas ‘lascadas’.
6 foram construídas e o restante foi desativada ou nucleada (termo usado para designar o fato de uma escola passar a receber alunos de uma determinada região vindos de outras que não tinham mais condições de funcionar, seja por estrutura, seja por número de alunos suficiente).
Fonte Do Blog Do Acélio

Leave a Reply

Tecnologia do Blogger.