Rádio Eldorado de Codó

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Aguardando julgamento pela morte do pai, Júnior do Nenzim tem candidatura a prefeito homologada durante convenção

Júnior do Nenzim ao lado do filho [Manoel Mariano] que é pré-candidato a vereador e abraçado por aliados durante a convenção…

Após passar um ano e oito meses preso [8 de dezembro de 2017 a 7 de outubro de 2019] acusado pela polícia como o principal suspeito do assassinato do próprio pai, Manoel Mariano de Sousa Filho, o Júnior do Nenzim, participou na noite de terça-feira (16) da convenção do PSC na qual seu nome foi homologado para disputar a prefeitura de Barra do Corda.

O ato político aconteceu no Ginásio Poliesportivo, no bairro Tamarindo e embora não tenha concentrado uma multidão, teve um número considerável de participantes.

Em seu discurso, “Júnior do Nenzim” que mudou o nome para “Júnior Vaquerim” jurou de pés juntos que não foi ele que matou nem mandou matar o pai, no caso, o ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa (Nenzin), crime ocorrido na zona rural do município no dia no dia 6 de dezembro de 2017.

“Estive com meu pai até na hora do enterro”, bradou o agora ‘Vaquerim’ durante seu discurso na convenção do PSC – que conta também com o partido Rede na coligação.

– AGUARDANDO JULGAMENTO EM LIBERDADE

Júnior do Nenzim foi solto em outubro de 2019 pela 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão para aguardar o seu júri popular em liberdade.

Entretanto, não deve ficar por muito tempo livre e que pela robustas provas da polícia e do Ministério Público contra ele pela morte do pai, deverá pegar mais de 30 anos de prisão em regime fechado.

A mesma 3ª Câmara Criminal do TJ-MA decidiu em fevereiro deste ano pelo desaforamento do julgamento do acusado, dessa forma, Júnior do Nenzim irá ser julgado em São Luís e não em Barra do Corda onde o crime ocorreu, pelo argumento que o acusado ainda possui muita influência na cidade e poderia desequilibrar o juri.

Por Domingos Costa


Nenhum comentário:

Postar um comentário